R E F L I T A:


Mande suas críticas e sugestões: sbritom@hotmail.com


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Professores vivem rotina de violência nas escolas

Alunos e amigos do professor Kássio Gomes, assassinado pelo estudante Hamilton Caires, durante manifestação no Centro de Belo Horizonte


Pesquisa mostra que esta é a situação que mais provoca sofrimento no ambiente de trabalho; medo evita denúncia


Por Fábio Gallacci e Natan Dias

Uma nota baixa teria sido o motivo para que o aluno Amilton Loyola, de 23 anos réu confesso, segundo a polícia, ressolvesse matar com uma facada o professor de educação física Kássio Vinícius Castro Gomes, de 39, dentro de uma universidade particular de Belo Horizonte (MG), na semana passada. Em Campinas, no último mês de julho, o também professor de educação física E.R.L., de 44 anos, foi agredido com murros, tapas e teve sua roupa rasgada pela mãe de uma aluna. O motivo: um par de sandálias. “Não reagi e saí bem machucado. Fiz um BO (boletim de ocorrência) e estou processando essa mãe”, diz ele. Esses casos comprovam que a violência tem feito parte da rotina nas escolas e que o medo é um intruso cada vez mais incômodo nas salas de aula.


Plano de Educação buscará investir 7% do PIB, diz Lula

 Por Gustavo Uribe
A O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta segunda-feira (13) que enviará ao Congresso Nacional na quarta-feira o novo Plano Nacional de Educação (PNE), referente ao decênio 2011-2020. O conjunto de diretrizes para a área substitui o atual, que vigora até 31 de dezembro, e era aguardado por entidades de ensino, que pediram urgência ao Ministério da Educação para que fosse apresentado antes do período de recesso parlamentar.

No programa semanal Café com o Presidente, Lula antecipou que uma das metas do novo plano é alcançar até 2020 um investimento de 7% ano do Produto Interno Bruto (PIB) na área. "A minha expectativa é que ao enviarmos esse projeto, na quarta-feira, para o Congresso Nacional, nós estaremos deixando público o compromisso do governo brasileiro até 2020", disse o presidente, lembrando que o plano tem um prazo de dez anos para que todas as metas contidas nele sejam cumpridas.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Professores temporários serão pagos em folha suplementar .


Manifestação paralisou as aulas na rede estadual do Paraná

O governador Orlando Pessuti garantiu na manhã desta segunda-feira que os professores temporários irão receber os salários atrasados em folha suplementar, nos próximos dias. O anúncio foi feito por Pessuti durante entrevista a Rádio Banda News, ao comentar o protesto dos professores, que ocorreu na manhã desta segunda-feira e paralisou as aulas da rede estadual do Paraná.

Os professores temporários estão sem receber desde setembro e de acordo com o governador, a despesa deve girar em torno de R$ 4 milhões. Pessuti acusou a administração anterior de desorganização. Segundo ele, as contratações foram feitas sem autorização do governo e sem o aval das demais secretarias (administração e fazenda).

Pessuti disse ainda que não houve critérios para a distribuição de licenças aos professores da Rede Estadual, provocando um déficit em salas de aula. De acordo com o governador, este teria sido o motivo da substituição da secretária de Educação Yvelise Arco-Verde.

Mesmo com as fortes chuvas que caíram sobre Curitiba na manhã desta segunda, cerca de 200 professores se concentraram em frente ao Palácio das Araucárias.

fonte: http://www.jornale.com.br/portal/parana/139/10252.html

Jovem armado invade escola infantil e faz reféns na França


Adolescente é preso após fazer 20 crianças reféns em cidade de Besancon

Um adolescente de 17 anos invadiu uma escola na França nesta segunda-feira e fez 20 crianças reféns, além da professora. Após horas de negociação, a polícia entrou na escola Charles Fourier, na cidade de Besancon, prendeu o adolescente e libertou todos os reféns.

O jovem estava armado com duas espadas e as crianças tinham entre quatro e seis anos.

O jovem, que teria cerca de 17 anos, teria entrado na escola pouco depois da abertura dos portões na manhã desta segunda-feira. Ele estaria sofrendo de depressão, segundo informações não confirmadas.

Depois de manter 20 crianças reféns, ele libertou 14. As demais foram liberadas apenas quando a polícia invadiu o local.

A escola fica no bairro de Planoise, onde muitos moradores são imigrantes. Todos os alunos das outras classes foram retirados do local e a família das crianças recebem assistência psicológica e médica.

fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/jovem+armado+invade+escola+infantil+e+faz+refens+na+franca/n1237863983717.html

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Drama: Alunos precisam enfrentar a madrugada e lama para estudar

A rotina das crianças que moram na zona rural de Castro (Paraná) é dura e no ano que vem pode ser ainda pior, caso queiram continuar estudando


Ainda é 4h30 da manhã quando, na região do Açungui, no município de Castro, há 80 quilômetros de Curitiba, a família de dona Noemi já está de pé e tomando o café para que as crianças possam ir à escola. Depois é uma caminhada no meio da noite e por quase duas horas, com os pés descalços para vencer a lama até chegar até o ponto de ônibus que os vai levar para escola.

A vida dos meninos e meninas que vivem na zona rural é dura e eles enfrentam uma rotina pesada para tentar mudar o futuro. No entanto, apesar do esforço, uma barreira mais forte que eles os espera no próximo ano. O ensino médio não poderá ser feito, pois a escola só oferece as aulas no período noturno e as crianças teriam que passar parte da noite voltando para casa a pé e descalços.

Assista esta reportagem clicando no link fonte:

Encerramento das atividades de Educação Infantil de minhas netas

Giovanna






Gabrielle





Secretário de Educação da Gestão Pessuti determina retorno de 4.800 professores que estão no PDE para suprir falta de docentes no Paraná

Por Taiana Bubniak, especial para a Gazeta do Povo

O secretário estadual de Educação, Altevir Rocha de Andrade, determinou, nesta terça-feira (7), que 4.800 docentes que estão afastados de suas atividades devem voltar à sala de aula. Eles estão participando do projeto de formação continuada Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE), mas terão de se apresentar imediatamente aos núcleos regionais de educação que estiverem jurisdicionados, com a disponibilidade a dar aulas. Isto vai ocorrer porque estes professores vão suprir a falta de professores que está afetando o calendário escolar de 2010.

De acordo com a coordenadora do setor de Recursos Humanos da Secretaria de Estado de Educação (Seed), Siloé Loures Costa, a medida é emergencial e deve durar até o dia 22 de dezembro, quando começam as férias dos professores. “Estão faltando cerca de 600 professores em sala de aula e a escola não pode finalizar o ano letivo com a carga horária ou calendário incompletos. Os professores que fazem parte do PDE estão finalizando suas atividades, sabemos isso por relatos. Por isso, nesse momento, vamos recorrer a eles para suprir essa emergência”, justifica.

Em entrevista com secretário de Educação, ele comentou os problemas que a pasta enfrenta. Para Silóe, as atividades realizadas no programa de formação continuada não serão prejudicadas.
“Eles estão, praticamente, em férias antecipadas, porque a quantia de ações nos cursos já diminuiu. Então, eles não serão prejudicados”, argumenta. De acordo com a coordenadora, se os professores que voltarem às salas de aulas tiverem alguma atividade nas universidades onde estão desenvolvendo o PDE, haverá flexibilidade de horário.

Ainda segundo a coordenadora, todos os professores foram chamados para não ser necessário utilizar algum critério de escolha que pudesse ser injusto. “Não posso chamar por número ou ordem alfabética”, comenta. A chamada em caráter emergencial começou a ser feita nesta terça-feira (7) e a expectativa do órgão é que na quarta-feira (8), alguns destes professores já estivessem em sala. “Já falamos com algumas regionais no interior, e os professores estão aceitando bem”, afirma Siloé.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

LER EMAGRECE


Quem nunca achou que uma pessoa com ótima aparência física não pudesse ter uma invejável formação intelectual? Ou nunca reparou em um sujeito completamente desengonçado e logo achou que ele fosse um geniozinho excêntrico completamente desligado de qualquer tipo de vaidade? Sem dúvida, oposição entre mente e corpo não é nenhuma novidade no universo dos assuntos terrenos.

Mas será mesmo que quem “afunda” a cabeça nos livros não tem tempo algum para “puxar um ferro” na academia? Bem, essa relação pode até ser verdadeira, mas um estudo recente demonstra que a leitura pode ser um excelente modo para se perder algumas preciosas calorias. Na verdade, uma pesquisa mais generalizada já comprovava anteriormente que uma hora de leitura consome uma média de cento e vinte calorias.

Justiça libera funcionamento de escolas na Zona 2 de Maringá

Por André Simões A


O juiz William Artur Pussi, da 3ª Vara Cível, liberou o funcionamento das escolas Aquarela Infantil Maringaense e Arte Manha na Zona 2 de Maringá. No ano passado, a prefeitura notificou as escolas para que deixassem o bairro em 15 dias, por desobedecer a lei de zoneamento urbano referente àquela região, que permite apenas estabelecimentos de ensino pré-escolar e maternal.

As escolas, que também oferecem ensino fundamental, vinham funcionando desde então por força de uma liminar. Na sentença, Pussi torna definitiva a decisão liminar e ordena à prefeitura que renove os alvarás dos estabelecimentos.

O juiz afirma que educação não é comércio, mas sim um direito social, e como os alvarás das escolas foram concedidos há mais de cinco anos, a administração pública não tem direito de invalidá-los.

O advogado das duas escolas, Oseias Martins Barbosa, afirma que recebe com felicidade a decisão do juiz, porque o direito ao ensino é primordial, mesmo considerando que não possa haver comércio na região. Barbosa afirma que, de acordo com pesquisas a que teve acesso, mais de 60% dos alunos dos dois estabelecimentos residem na própria Zona 2. "As leis de zoneamento federais não podem estar acimas das leis federais. E mesmo que seja privada, uma escola tem função social."

Posição

A presidente da Associação de Moradores da Zona 2, Irma de Oliveira, afirma que recebe com tranquilidade a decisão do juiz Pussi, pois a permanência das instituições de ensino não afeta o caráter estritamente residencial do bairro, a principal bandeira do grupo. "Nunca, em momento algum, movemos algo contra as escolas. Elas sempre estiveram aqui, têm alvará. O problema é outro", diz Irma.

fonte: http://www.odiario.com/maringa/noticia/371148/justica-libera-funcionamento-de-escolas-na-zona-2.html

domingo, 5 de dezembro de 2010

Artigo sobre práticas de alfabetização e letramento

Vejam em Menu texto, o artigo: "Refletindo as práticas de alfabetização e letramento", de Viviane Maria Ferreira Faria que é formada em Pedagogia (UEPB - UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA) e especialista em Linguística (FIP - Faculdade Integradas de Patos).


quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Brasil terá prova para avaliar alfabetização de crianças

O Brasil terá uma nova prova para avaliar o nível de alfabetização dos alunos do 3.º ano do ensino fundamental - série em que, com 8 anos de idade, deveriam saber ler e escrever. O exame é uma parceria entre o Movimento Todos Pela Educação, a Fundação Cesgranrio, o Instituto Paulo Montenegro (do Ibope) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), ligado ao Ministério da Educação.

A prova ainda não tem nome oficial, mas é chamada pelos organizadores de "Inafinho", em alusão ao Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf), que mede o nível de alfabetismo funcional da população adulta. O "Inafinho" não deve substituir avaliações já existentes - a ideia surgiu, segundo os organizadores, porque hoje não há um monitoramento público que avalie em que patamar está a alfabetização das crianças dessa faixa etária (leia mais ao lado). A alfabetização até os 8 anos é uma das metas do Todos Pela Educação.

A prova deveria ser aplicada até o fim deste ano, mas isso não foi possível pelo prazo apertado e por causa da transição de governos. Ainda não há data definida, mas, segundo o Estado apurou, o "Inafinho" deve ocorrer entre a segunda e a terceira semana de aula de 2011, para as crianças que acabaram de sair do 3.º ano - ou seja, que estão no 4.º. Repetentes também serão incluídos.

Devem participar cerca de 500 turmas de escolas públicas e particulares, de forma amostral - uma média de 5 mil alunos -, apenas de capitais brasileiras. A prova tem 20 questões de português, 20 de matemática e redação. A duração será de 1h30, meia hora para cada parte. Cada aluno deve fazer uma das provas, mas todos fazem a redação.

Os resultados devem ser apresentados por regiões. Será a primeira vez que o Brasil terá noção de como caminha a alfabetização de seus alunos, mesmo que em escala pequena. "Estamos em fase de pré-teste, mas a prova está pronta", afirma Priscila Cruz, diretora executiva.

fonte: http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/12/02/brasil-tera-prova-para-avaliar-alfabetizacao-de-criancas.jhtm

A teoria de Vygotsky ainda vale para os dias de hoje?

O lúdico é educativo quando desperta na criança a curiosidade. Precisamos aproveitar o lúdico em sala de aula como facilitador da aprendizagem. Os jogos e as brincadeiras pedagógicas despertam nas crianças os gostos pela vida.

As regras criadas pelo jogo proporcionam no educando a zona de desenvolvimento proximal.

De acordo com o referencial teórico de Vygotsky, vamos dar ênfase ao aspecto cognitivo do jogo: o ser humano se desenvolve a partir do aprendizado, que envolve a interferência direta ou indireta de outros seres humanos.

Vygotsky através de seus estudos sobre as funções psicológicas superiores, nos aponta um controle consciente do comportamento - percepção, atenção e memória, que não nasce com o ser humano. Esses estudos contribuíram muito com a educação, pois podemos entender com mais clareza a aprendizagem humana e conseqüentemente enriquecer nossas práticas pedagógicas.

Para Vygotsky a mediação é que faz a diferença, ela é o processo que irá interferir na relação de aprendizagem da criança, isto é, deixa de ser direta para ser mediada. É através dessa mediação que as funções psicológicas superiores se desenvolvem no ser humano. Para ele a mediação depende de dois elementos importantes: o signo – que vai regular as ações psicológicas e o instrumento – que regula as ações sobre os objetos. E são através desses mediadores – instrumentos e signos – que a relação entre homem X mundo real são organizadas pelas funções psicológicas superiores.

De acordo com essa concepção de Vygotsky a memória poderosa é aquela que é mediada por signos. Esse processo interfere na aprendizagem de todos os envolvidos, quem ensina e quem aprende, por isso podemos dizer que onde não acontece o aprendizado também não acontece o conhecimento. E pensando como “Escola”, é sua obrigação construir um ser psicológico adulto, já que o aprendizado leva ao conhecimento.